segunda-feira, 19 de junho de 2017

Acidentes de trabalho no Brasil

Descrição para cegos: operário manusea botões de uma máquina em uma indústria. Na imagem, ele aparece equipado, com luvas, óculos, protetor de ouvidos e capacete.

Por Amanda Rodrigues

Descuido, falta de equipamentos de segurança e até exaustão provocam 700 mil acidentes de trabalho por ano em todo o país. De acordo com o Ministério da Fazenda, entre 2012 e 2016, foram registrados 3,5 milhões de casos nos 26 estados e no Distrito Federal que resultaram na morte de 13.363 pessoas e geraram um custo de R$ 22,171 bilhões para os cofres públicos com gastos da Previdência Social.
As justificativas dos gastos envolvem motivos como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio-acidente para pessoas que ficaram com sequelas. Nos últimos cinco anos, 450 mil pessoas sofreram fraturas enquanto trabalhavam.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Anfip contra a reforma da previdência

Descrição para cegos: imagem mostra fachada de uma repartição do INSS e na calçada algumas pessoas se locomovendo.

A Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), juntamente com a Fundação Anfipe Plataforma Político Socialproduziu uma série de vídeos sobre a Reforma da Previdência. O ator Herson Capri é o protagonista do seriado, esclarecendo à sociedadeos detalhes da reforma que afeta a vida dos trabalhadores brasileiros. Ao longo dos vídeos é possível conhecer a realidade dos trabalhadores no Brasil e como a aprovação da proposta do Governo Temer vai precarizar a vida do povo brasileiro, além de outros assuntos relacionados à previdência social. Para conferir a série de vídeos, clique aqui.(Lucas Adriel)

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Acidentes de trabalho

Descrição para cegos: foto de 2 trabalhadores da construção civil sem equipamento de segurança, montando uma estrutura de ferro sobre uma plataforma alta de tábuas improvisada. 

Por Marcela Mayara

Com objetivo de proteger o ambiente de trabalho, prevenir acidentes e evitar perdas de mão de obra, o Ministério do Trabalho impõe 36 normas regulamentadorasque servem para orientar as atividades trabalhistas.O não cumprimento dessas normas acarretam penalidades severas a qualquer organização, seja pública ou privada. O empregado também deve seguir as orientações, caso contrário o ato poderá ser considerado faltoso.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A imagem do trabalho na imprensa

Descrição para cegos: imagem de um homem, negro, trabalhando com uma rebarbadora em um galpão. Na foto, ele usa um macacão de trabalho e óculos escuros para proteção.

A relação da imprensa com temas ligados ao trabalho nunca foi das melhores. Isso se dá devido à visão da mídia no campo trabalhista, associada muitas vezes às necessidades patronais. Sobre o assunto, o professor Ricardo Alexino Ferreira, da Escola de Comunicação e Artes da USP (ECA-USP) publicou um artigo no Jornal USP em que aborda como a imprensa se volta para fatos e questões relacionados ao trabalho e o modo como essa produção de sentidos se agrega a várias outras construções, que vão alimentando o imaginário social. Leia o artigo aqui .  (Amanda Rodrigues)

sábado, 10 de junho de 2017

Severas críticas à reforma da previdência

Descrição para cegos: foto do professor Eduardo Fagnani falando em um microfone que segura com a mão esquerda, enquanto gesticula com a direita levantada.


Renato Bazan, colunista do portal CTB entrevistou o professor Eduardo Fagnani, economista e professor da Universidade de Campinas (Unicamp). O docente criticaseveramente o projeto da reforma da previdência: “São regras mais severas, absolutamente incompatíveis com a realidade do mercado de trabalho brasileiroque irão se agravar com a terceirização e a reforma trabalhista”. Segundo o professor Fagnani, as regras para a aposentadoria rural criarão um contingente “de velhos vagando por aí, morrendo embaixo da ponte”. Para ler, clique aqui. (Marcela Mayara)

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Mulher e desemprego na América Latina

Descrição para cegos: em primeiro plano, uma mão feminina segurando carteira de trabalho, ficha de atendimento e celular. Em segundo plano, uma mulher e alguns homens aguardam atendimento. (foto: agência Brasil)
Por Lucas Adriel

Pesquisa realizada pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) constatou que as mulheres são mais afetadas pelo desemprego na comparação com os homens no Brasil e nos demais países latino-americanos e caribenhos. A pesquisa mostrou ainda que o desemprego total entre os brasileiros ficou em 11,8% no terceiro trimestre de 2016. Desse montante, 14% são de mulheres e 11%, homens.
A mesma pesquisa ainda mostra que 78,1% das mulheres que estão empregadas trabalham em setores de baixa produtividade e, dessa maneira, recebem as piores remunerações e baixa cobertura previdenciária. Para a Secretária-Executiva da Cepal, Alicia Bárcena, os fatores estruturais que conservam a divisão sexual representam um obstáculo para a superação da pobreza e da desigualdade, assim como para a conquista da autonomia econômica das mulheres.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sobra dinheiro na Previdência

Descrição para cegos: charge que mostra o presidente Temer como vampiro falando para uma câmera enquanto aponta para um cofre onde há apenas uma cédula, sobre o qual está escrito “Previdência Social”. Atrás deste, oculto por um tapume, há outro cofre igual abarrotado de sacos de dinheiro. 

 A colunista Cátia Guimarães, do site Brasil de Fato publicou um artigo tendo como base uma tese de doutorado elaborada pela economista Denise Gentil, demonstrando que a previdência não corre nenhum risco de rombo. Pelo contrário, sobra muito dinheiro nos cofres públicos que podem fornecer sustentabilidade aos pensionistas e aposentados brasileiros sem a necessidade de reforma. Para ler o artigo, clique aqui. (Marcela Mayara)